O Carnaval e as Máscaras

Padrão

O Carnaval está chegando e estou fugindo pro Uruguai e Argentina na sexta-feira, já pulei muitos carnavais no Brasil, mas acho que estou ficando velha (heheh) não tenho mais vontade de pular e ficar na farra, entretanto me interesso muito pela historia/cultura do Carnaval. Então decidi postar sobre as máscaras utilizadas no carnaval.

Há um tempo atrás estive na cidade de São Francisco Xavier e fui conhecer o Atelier de las Máscaras, do mestre mascareiro Carlos Alberto Gaudin, 56 anos, que cerca de 5 anos começou a confeccionar máscaras que remetem ao tradicional Carnaval de Veneza e àcommedia dell’arte e podem ser usadas como peça decorativa ou adereço para bailes.

Tudo começou quando o argentino radicado no Brasil há 37 anos ficou desempregado e, durante uma visita à casa de uma amiga carioca, se deparou com uma coleção de máscaras, ficou tão maravilhado que teve vontade de aprender as técnicas e fazer máscaras (não é difícil se apaixonar pelo universo lúdico e ar misterioso que as máscaras proporcionam).

Para aprender a “cartapesta”, técnica de empapelamento que requer várias camadas de papel reciclado e de jornal para formar uma máscara, Gaudin passou um ano pesquisando livros de arte, escultura da cabeça humana e técnicas de pintura.

Como as peças são feitas sob encomenda, o mestre mascareiro recebe clientes de toda parte do Brasil e até do mundo o que acaba tornando seu Ateliê um atrativo turístico de São Francisco Xavier.

Sobre as máscaras:


Presentes no Carnaval veneziano até hoje, Gaudin acredita que as máscaras são um complemento importante também para a festa brasileira. “Apesar de serem usadas apenas em algumas situações, como bailes de máscaras, elas são peças muito importantes em alguns países. “Brasil e Veneza têm estilos diferentes de Carnaval. No Brasil, há um culto mais tropical e as pessoas não usam mais tantas máscaras. Até os anos 80, elas eram tradicionais nos bailes de clubes. Agora, as máscaras estão voltando para os bailes à fantasia e peças decorativas”, explica.

A história:

O estilo das máscaras que complementam fantasias e adornam paredes de colecionadores começou por volta do ano de 1550, em Veneza. Nessa época, os venezianos usavam as máscaras para se esconderem, por questões político-religiosas, durante os 365 dias do ano. “O principado era muito liberal e tinha alguns conceitos contrários aos da Igreja Católica. Nessa altura, o ‘Carnevale’ também já existia e era tido como uma ‘festa pagã’ e as máscaras integravam o figurino das peças teatrais da commedia dell’arte.

Tudo isso durou apenas até 1750, quando Il Doje, príncipe de Veneza, foi obrigado pelo papa a proibir o uso das máscaras pelo povo veneziano. A partir de então, as máscaras só eram permitidas somente no palco da commedia dell’arte. As peças só voltaram a integrar o figurino das festas italianas em 1880, com o primeiro atelier de máscaras de Veneza, o “Maschere mondonovo”.

Independente do modelo, as máscaras são uma mistura de tradição e de mistério, num jogo de fantasia sobre o que elas mostram e escondem, “A máscara é mística, é pura arte”, acredita o mestre mascareiro de São Francisco Xavier.

As máscaras podem ser encomendadas via e-mail (gaudinmasks@yahoo.com.br) e variam de R$ 150 a R$ 800.

Parte da entrevista com o mestre mascareiro foi retirada do site: http://www.atelierdelasmascaras.com.br/atelierdelasmascaras/m_comum/imgs/01.pdf

Por Mariana Arruda

Anúncios

»

  1. Oi ,tudo bem ?
    sou de Pres. Venceslau . E gostaria de saber se vcs podem me auxiliar numa duvida.
    Meu filho quer ir numa festa a fantasia e quer que eu faça uma mascara do espartano do filme 300.
    Eu gostaria, que vcs me ajudssse de como posso fazer essa mascara. Ele abrir um site , mas no you tube,mas só
    que é em ingles. Como vc sabem fazer varias mascaras, poderiam me ajudar se possivel? Aguardo respostas desde já muito Obrigada! Lucidalva.

    • Oi, tudo bem?

      Sobre a máteria sobre Máscaras Venezianas, eu fui entrevistar um artista que produz as máscaras, mas, infelizmente, não sou eu quem as faz, eu só fui como entrevistadora.

      Eu sugiro que você tente comprar uma de plástico (em alguma loja de fantasias) e que trabalhe em cima dela até que fique do seu agrado (ou do seu filho).

      Você pode pintar ela com spray dourado ou prateado e, para fazer o moicano, tente comprar peruca no proprio formato, aí é só colar o cabelo na ponta da máscara…
      Vale tentar…

      Abraços e boa sorte

  2. olá, senhor Gaudin, gostaria de lhe informar que eu sou professora. Leciono na cidade de Blumenau, SC sou funcionaria municipal. Uma das nossas metas é trabalhar os eventos sociais com mais sigificado para os alunos. Como estávamos nos aproximando do caranaval não queria falar somente desse assunto. Gostaria de trazer algo mais rico, artístico e adorei a sua história, levei-a a minha turma, que são crianças de 5 á 6 anos. Os alunos adoraram e fizemos após conhecer uma pouco sobre o seu lindo trabalho nossa “MASCARA”, com pratos de papelão.
    eu estou escrevendo para o senhor, pois, os alunos pediram para que eu lhe comunicasse que gostaram muito de conhecer um pouco sua história e algumas de suas mascaras.
    temos fotos da cofecção das nossas,
    Se o senhor tiver interesse lhe mostrarei pela net.Um grande abraço muito sucesso, e se o senhor poder mandar um recadinho para os alunos eu lhe agradeço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s