Arquivo da tag: Chanel

Filme “Coco Chanel & Igor Stravinsky”

Padrão

Oi gente, tudo bem?

Fui no sábado (28 de Agosto) assistir a Pré-Estréia do filme “Coco Chanel & Igor Stravinsky” no Shopping Galleria em Campinas.

O filme “Coco Chanel & Igor Stravinsky” concentra-se apenas no affair entre a criadora do “pretinho básico” e o autor da famosa sinfonia “A Sagração da Primavera”, contando a história do romance vivido nos anos 20. O longa é uma adaptação do livro homônimo, escrito pela inglesa Chris Greenhalgh e lançado em português recentemente.

A atriz Anna Mouglalis, que já viveu nas telas a cantora Juliette Gréco e a escritora Simone de Beauvoir, agora encarna o papel da estilista Coco Chanel.

Todo o figurino de Anna Mouglalis, como não poderia deixar de ser, é assinado pela Maison Chanel e foi feito especialmente para o longa, em um processo de criação que envolveu de perto Karl Lagerfeld, no comando da grife desde 1983.

Durante a Revolução Russa, Igor Stravinsky fugiu em exílio para a França e foi convidado por Coco Chanel a viver em uma de suas casas de campo para continuar a compor.

O primeiro encontro entre eles, aliás, deu-se justamente na primeira apresentação pública que Stravinsky fez de sua mais conhecida sinfonia, em 1913, no Teatro Champs-Élysées, em Paris. Coco Chanel estava na plateia e foi uma das poucas que não se chocou com a encenação da composição, marcada por ter revolucionado os padrões artísticos de melodia e coreografia da época.

Sete anos depois, já nos anos 20, os dois se reencontram em uma festa, também em Paris. Chanel já tinha seu estilo de criar definido e era bem conhecida no mundo da moda. Stravinsky amargava na França um período de exílio por conta da Revolução Russa.

Com a idéia de oferecer a ele um lugar tranqüilo onde teria inspiração para voltar a compor, Chanel o convida, juntamente com sua família, para hospedar-se durante um tempo em sua casa de campo, ainda na França. É lá que o romance entre os dois, repleto de cenas intensas e tensas de amor, acontece, sob os olhos da mulher de Stravinsky, Katarina, vivida por Yelena Morozova.

Curiosidade: foi durante seu romance com Stravinsky que Chanel lançou seu icônico perfume Chanel Nº5.

O mais engraçado, foi que durante o filme, uma bexiga de gás Helio que estava no teto em um canto da sala do cinema, se mexeu e foi parar no meio da tela. Fato bem incomum, mas diferente.

A seguir, o trailer:

Eu já escrevi sobre Gabrielle Chanel há um tempo atrás, quem tiver interesse em ver, é só clicar nos links abaixo:

https://pencefundamental.wordpress.com/2009/08/05/minha-busca-por-coco-chanel/

https://pencefundamental.wordpress.com/2009/10/26/coco-before-chanel/

Vale a pena assistir!

Mariana Arruda Simoni

mariana.as@uol.com.br

Anúncios

Tatto (de mentira) Chanel

Padrão

Oi gente, tudo bem?

Eu sou apaixonada por tattos, tanto que depois que eu voltar do Uruguai e Argentina já vou fazer outra ou outras hehe.

Mas pra quem também gosta de tattos, mas ainda não criou coragem pra fazer (porque é algo pra sempre), agora existe a possibilidade de você “brincar” que tem uma, como está abaixo, exclusiva da Chanel.

É isso mesmo, a Chanel resolveu lançar uma linha de tattos de mentirinha para a alegria de suas clientes. Os desenhos variam entre pérolas, correntinhas e a logomarca.

De acordo com a revista Elle, “Les Trompe L´ oeil de Chanel”, chega ao mercado como um set, com 55 tattos, por US$78 e na lojas Chanel estará disponível à partir de março.

Acho que eu faria uma de verdade dessa.

Por Mariana Arruda

Minha busca por Coco Chanel…

Padrão

Oi querida(o), tudo bem?

Não resisti e tive que escrever a respeito de ontem, que passou uma matéria na Globo News sobre Gabrielle Chanel, mais conhecida como Coco Chanel, a reportagem mostrou algumas imagens dela no decorrer de sua carreira, além de mostrar a marca Chanel nos dias de hoje.

Bom, não é só porque eu estudo moda, gosto de moda que eu sou apaixonada por esta pessoa incrível, a Chanel.

chanel

Minha paixão vai além das roupas, dos símbolos, dos acessórios e do império que hoje a marca Chanel detém, minha paixão existe pela sua história, seu estilo, minha paixão por ela se dá ao seu jeito sempre a frente de seu tempo, seu jeito atemporal.

Bom, vou colocar um resuminho sobre a vida dela:

Gabrielle Bonheur Chanel, nasceu em Saumur no dia 19 de agosto de 1883 e morreu em Paris, no dia 10 de janeiro de 1971, mais conhecida como Coco Chanel, feminista, elegante, Chanel foi mulher à frente do seu tempo.

Tinha quatro irmãos (2 meninos e 2 meninas), o pai, Albert Chanel, era caixeiro-viajante e a mãe, Jeanne Devolle, era doméstica. Sua mãe faleceu quando ela ainda era criança e seu pai ficou responsável pelas crianças. As meninas foram educadas num colégio interno, e os irmãos foram trabalhar numa feira.

Com vinte anos, Gabrielle saiu do colégio e foi em busca de um emprego como bailarina, na área de dança e teatro, que não deu muito certo devido à sua estatura.

Com vinte e cinco anos, Chanel conheceu um rico comerciante de tecidos, chamado Etienne Balsan, com quem passou a viver, depois conheceu o rico inglês Arthur Boyle, que se tornou o amor de sua vida e foi ele que a ajudou a abrir sua primeira loja de chapéus, que em pouco tempo se tornou um sucesso.

Coco_Chanel_1

A relação deles acabou e Chanel abriu a primeira casa de costura, que comercializava roupas e chapéus, além de vender também roupas desportivas para ir à praia e para montar a cavalo, foi ela quem inventou as primeiras calças femininas.

chanelzinha

No início dos anos 20, Chanel se relacionou com o russo Dmitri Pavlovich, que a inspirou em desenhar roupas com bordados do folclore russo, contratando diversas costureiras. Foi neste período que Chanel conheceu muitos artistas importantes, como Pablo Picasso, Luchino Visconti e Greta Garbo.

Sua roupas vestiram as grandes atrizes de Hollywood, e seu estilo ditava moda em todo o mundo. Além de confecções próprias, desenvolveu perfumes com sua marca. Os seus tailleurs, a camélia como broche e as perolas são referência até hoje, além da bolsa com alças de corrente dourada.

CHA3

Chegou a Segunda Guerra Mundial e Chanel fechou sua Maison e envolveu-se com um oficial alemão. Reabriu-a em 1954.

No final da Guerra, os franceses conceituaram este romance mal e deixaram de freqüentar sua Maison, tendo por isto, dificuldades financeiros. Para manter a casa aberta, Chanel começou a vender suas roupas para o outro lado do Atlântico, passando a residir na Suíça.

Faleceu no Hôtel Ritz Paris em 1971, onde viveu por anos. O mesmo hotel que eu visitei em Paris (veja foto abaixo).

paris 182

Agora o por quê eu admiro Gabrielle Chanel:

Ela conseguiu com estilo e elegância libertar a mulher dos anos 20 dos trajes desconfortáveis e rígidos.  Ela conseguiu reproduzir em suas criações sua própria imagem, de mulher independente, feminista, elegante, bem-sucedida, com personalidade e estilo.

paris 153

paris 128

DSC02898

Sobre a marca Chanel hoje:

Dirigida desde 1983 pelo estilista alemão Karl Lagerfeld tanto para a linha de alta-costura quanto para a de prêt-à-porter, a marca Chanel conseguiu continuar sinônimo de elegância e estilo atemporal.

Paris 2009 547

karl

Para quem se interessou pela linda historia de vida de Gabrielle Chanel, uma ótima noticia:

coco_before_chanel

A Warner liberou a versão nacional do trailer e pôster de Coco Antes de Chanel, de Anne Fontaine. Estrelado por Audrey Tautou (O fabuloso destino de Amélie Poulain), o filme conta a trajetória de Gabrielle Chanel, uma órfã teimosa que ao longo da vida se tornou uma estilista de alta-costura lendária. Chanel é sinônimo da mulher moderna, de estilo, de liberdade e, acima de tudo, de sucesso!

O filme estréia dia 30 de outubro nos cinemas nacionais.

“Eu criei um estilo para um mundo inteiro.

Vê-se em todas as lojas “estilo Chanel”. Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda; Chanel não sai da moda.”

gabrielle-coco-chanel

Coco Chanel

por Mariana Arruda

Obs: Foi emocionante estar em Paris visitando suas lojas. Ver que seu estilo está presente, vivo.

Tour pela Europa: 3º dia- de Amsterdam para Londres

Padrão

11/07- Amsterdam para Londres

Acordamos às 9h e fomos tomar café. Depois voltamos a dormir (estávamos realmente cansados) e só levantamos às 11h30 para arrumarmos as malas. Acordamos, deixamos as malas em uma salinha do hotel, e fomos dar uma ultima volta pela cidade.

DSC02904

Fomos até a loja da fábrica da Heineken, comprar umas coisinhas pro meu pai, passamos pelas ruas da moda, onde eu me deliciava vendo a nova coleção da Chanel, Prada, LV, Hugo Boss, o Digo babava nos carros como Ferrari, Mercedes, BMW e o Mau comprava umas camisas de futebol.

DSC02898

Achamos uma loja de discos e eu e o Mau compramos dois discos: Sham 69 e Cockney Rejects.

Na volta almoçamos pizza (perto do hotel), pegamos as malas e fomos para o aeroporto. Saímos de Amsterdam e fomos para Londres. O vôo deveria ser rápido e tranqüilo, mas já no aeroporto tivemos dor de cabeça para fazer o check-in. Tentamos fazer nas maquinas automáticas, mas só dava pepino, assim acabamos indo no manual mesmo.

DSC02926

Foi rápido, embora cansativo. O avião da KLM era confortável e rapidinho já serviram um lanchinho.

Chegamos ao aeroporto de Londres, onde pegamos uma mega fila para pegar o visto- o clima estava tenso, pegamos um táxi até o Hotel- que parecia ser no fim do mundo, gastamos 120 libras (um absurdo).  Para completar o cenário céu chuvoso, bairro mulçumano.

DSC02938

Tudo parecia estar realmente perdido se não fosse o atendente, um paquistanês que nos acalmou e nos fez ver que não era o fim do mundo.

Como era tarde e estávamos com fome, decidimos pedir alguma comida (veggie burguers!). Aliás, quem pediu foi o próprio paquistanês, que ainda emprestou um cartão pessoal pra gente ligar pra Cosmópolis, pra eu avisar a family que estava viva.

DSC02948

Quando a comida chegou, descobrimos que o motoboy era brasileiro, de Goiana, batemos um papo com ele e fomos para o quarto.

Dormimos num quarto pequeno cheio de adaptações para deficientes físicos. Ficamos fazendo planos para o outro dia e quando percebemos já estávamos quase acordando no dia seguinte.

Beijos à todos!

Mari