Arquivo da tag: moda contemporânea

DIA DE PALESTRAS

Padrão

Oi pessoas, tudo bem?

Passando pra contar um pouco sobre o dia maravilhoso de hoje em que dei duas palestras na Universidade Anhembi Morumbi:

content_id

Na primeira palestra AHORA Y SIEMPRE: pesquisas em design de moda, da concepção à materialização, apresentei meu percurso de pesquisa e elaboração de um projeto de design de moda para a construção de uma coleção, abordando desde a concepção até a materialização. A luta das Mães da Praça de Maio após o desaparecimento de seus filhos no período da ditadura na Argentina, é o ponto de partida para a construção de AHORA Y SIEMPRE.

Na segunda palestra, REDESIGN DO CORPO: aspectos projetuais em intervenções corporais de ORLAN, apresentei minha pesquisa que investiga aspectos relativos à compreensão do corpo como instancia de criação que proporciona ao sujeito possibilidades de intervenção e de reinvenção da aparência. Na contemporaneidade, a autonomia corporal aliada a avanços da tecnologia e medicina, possibilita inúmeras variedades de transformações do corpo, diluindo as fronteiras entre o natural e o artificial. Diferentes práticas exercidas sobre o corpo podem ser entendidas e associadas com procedimentos do campo do design. Os trabalhos da artista francesa ORLAN ilustram práticas artísticas que envolvem aspectos projetuais e redesign corporal.

Gostaria de agradecer a oportunidade, foi um dia muito proveitoso e produtivo.

Equipe ziguezague,

Anhembi Morumbi

Cristiane Mesquisa

Anúncios

Exposição Andy Warhol, Mr. America

Padrão

A Pinacoteca do Estado de São Paulo inaugurou, na Estação Pinacoteca, a exposição Andy Warhol, Mr. America, que foi organizada em colaboração com The Andy Warhol Museum, em Pittsburgh (Estados Unidos).

A mostra acompanha um catálogo bilíngüe (português e inglês), com reprodução das obras exibidas e textos do curador da mostra, além de pinturas, gravuras, fotografias, filmes e instalações do artista.

A exibição mostrou filmes produzidos por Andy Warhol em seu próprio estúdio, The Factory, que são exibidos do decorrer da exposição. Esses filmes dão ênfase aos temas abordados por Warhol, pois apresentam os mesmos assuntos de suas obras: poder, alienação, sexo, morte, beleza, critica ao consumo, além da ironia em suas construções.

A exposição mostra uma faceta crítica que não costuma ser atribuída ao pop. Os temas de suas obras falam sobre política, cultura popular norte-americana, além de suas críticas a sociedade narcisista e do consumo padronizado do pós-guerra.

É considerado um artista contemporâneo porque mesmo nos dias de hoje suas obras se apresentam à frente do nosso tempo, tanto que em uma das frases do curador da exposição, Philip Larratt-Smith, ele cita que “Warhol já trabalhava com computadores nos anos 80, sempre estava procurando pela próxima onda. Ele teria descoberto a importância da internet antes que qualquer um”, isso explica o caráter de contemporaneidade que suas obras apresentam até hoje.

Andy Warhol é conhecido como um dos principais nomes da pop art e se tornou um dos artistas comerciais mais importantes da década de 50.

O pop art surgiu nos anos 50 e teve seu auge na década de 60. Este movimento se
caracteriza pela apropriação de imagens do universo do consumo (como por exemplo embalagens de produtos) e da cultura de massa- televisão, cinema, revistas, quadrinhos e propaganda- como tema de suas obras, fazendo uma critica a industria (consumismo) e a influência que ela faz na vida das pessoas.

Uma das características de suas obras deu-se ao fato de ele utilizar diferentes meios de reprodução mecânica, eliminando a distinção entre fotografia e pintura, além de usar a imagem seriada para transformar produtos de consumo diário, revelando o glamour banal que a reprodução ilimitada confere as imagens.

Assim, quem observa superficialmente as obras de Andy Warhol apenas fica seduzido pelas cores fortes, porém, quem as analisa junto com a vida e o movimento a que ele pertenceu, descobre o verdadeiro retrato da América, um retrato sem tantas cores e sedução.

Andy Warhol morreu em 1987, após uma cirurgia da vesícula biliar.

Resgatando a história da MODA Brasileira…

Padrão

Oi gente, essa semana durante uma aula de Moda Contemporânea, relembramos do evento Phytoervas Fashion, aí eu decidi que iria postar pra quem nunca ouvir falar do evento ou pra quem acompanhava este evento que foi a primeira temporada de moda nacional.

phytoervas

fashion

oitava edição

O Phytoervas Fashion foi criado em 1993 com o objetivo de proporcionar visibilidade ao trabalho criativo e de qualidade desenvolvido por jovens estilistas. Até a sua 7ºedição, realizada em fevereiro de 1997, o Phytoervas Fashion era realizado duas vezes por ano, nos meses de fevereiro e julho.

Em sua 1º edição (fevereiro de 1994), o evento contou com a participação de Walter Rodrigues, Cia do Linho e Alexandre Herchcovitch. Com a criação de uma comissão julgadora, formada por profissionais do mundo da moda e das artes, (jornalistas, fotógrafos, profissionais de moda, professores, estilistas consagrados, diretores de arte), o evento ampliou seu numero de participantes e estabeleceu uma regra: o estilista escolhido só poderia participar no máximo três vezes do evento.

Este espaço foi criado para ser o primeiro Centro de Moda Brasileiro.

Em1996, o Phytoervas Fashion, já sob direção geral de Betty Prado, apresentou um formato mais maduro e profissional, e passou a ser realizado na Fundação Bienal de São Paulo. O evento reuniu mais de nove mil pessoas. Alguns estilistas que fizeram parte do evento após essa data: Ronaldo Fraga, Gloria Coelho, Marcos Borches, Marcelo Sommer, Mário Queiroz, Sta Ephigênia, Eduardo Ferreira, Estela Alcântara e Jeziel Moraes, Jun Nakao e mais uma vez o Mundo Mix, além de outras novidades como a participação de estudantes de moda com exposição de fotos, colagens e croquis dos estilistas participantes, mostrando o processo criativo.

Uma das contribuições do evento foram as “tendências”, que deixou de estar em um catalogo e passou a ocupar as revistas, com editoriais e histórico dos estilistas, fazendo com que as pessoas pudessem ter acesso às tendências.

Obs: O evento marcou também a estréia de Gisele Bündchen.

desfilegisele

A Moda em São Paulo

Padrão

Mesmo tendo voltado da Europa, o berço da modacontemporânea, é bom voltar pra casa e ver que a cada dia a moda brasileira tem sido valorizada, ainda que focada nas grandes capitais, por enquanto.

Digo isso com base na pesquisa da Global Language Institute, que posicionou São Paulo entre as principais e mais influentes capitais mundiais da moda.

“São Paulo figura em oitavo lugar na lista das dez maiores cidades da moda, segundo revela uma pesquisa anual”.

O Estado de S. Paulo, 20/07/09

caligrafia urbana de SP, do site: www.soniagil.com.br

caligrafia urbana de SP, do site: http://www.soniagil.com.br

Isso confirma a valorização cada vez mais da vocação da cidade para as áreas criativas, sem esquecer do potencial econômico, levando o nome do Brasil para todo o mundo, e valorizando as profissões relacionadas ao design de moda.

Parabéns a todos que colaboram com esse reconhecimento, de blogueiros a consumidores, passando por marcas, designers e todos os profissionais envolvidos.

Tecido que muda de cor conforme mudamos de humor

Padrão

Oi gente,

Como a maioria das universidades voltaram a aula dia 17, eu também voltei, mas precisamente dia 18.

Neste semestre minhas disciplinas são: Projeto Interdisciplinar, Modelagem Básica, Têxteis Contemporâneos, Expressões Gráficas Urbanas, Cultura Brasileira, Ergonomia aplicada ao Design, Atividades Complementares e Moda Contemporânea.

Hoje, na aula de Têxteis Contemporâneos, com a professora Mitiko Kodaira, eu acabei lembrando de uma reportagem que eu li há um tempo atrás sobre uma roupa que muda de cor conforme mudamos de humor.

Eu sei, parece coisa do outro mundo, mas existe, assim que eu lembrei decidi postar sobre ele para vocês.

12

O objeto em questão é uma roupa que muda de cor conforme o humor de quem a veste. Ela foi projetada pela empresa de produtos eletrônicos Phillips e o traje é composto por uma camada de sensores biométricos e outra de tecido.

Quando mudamos de humor, como stress, felicidade, medo, nossa temperatura corporal também oscila, essa oscilação é captada pelos sensores, mudando a cor da roupa.

O mais interessante é que além disso, é possível programarmos que ela fique, por exemplo vermelha, quando a pessoa não está muito amigável, ou verde, se ela está deboazinha.

A roupa foi desenvolvida para o “Skin Probe Project”, um programa de pesquisas que especula como será o estilo de vida em 2020.

Referência da foto: http://computadoresvestiveis.blogspot.com/2008/11/tecido-oscilao-de-humor.html

Criatividade é TUDO

Padrão

Acho que quase todos vocês, ou a maioria, já passou por situações embaraçosas por causa do famoso chiclete, você o coloca na boca, vai mascando até fazermos “a” bolha, então ele estora e as vezes pode pegar no cabelo… ai que raiva que dá… aí só com tesoura…

Ou então aquela pessoa chata que senta na carteira da frente- quem já não sentiu vontade de grudar um chiclete no cabelo dela? haha

Bom, agora podemos fazer isso sem causar problemas para ninguém com as presilhas-chiclete e os bottons-chicletes  (olha só o que inventaram), imaginem sairmos com o cabelo cheio de “chiclete”, ia ser demais.

Olhem as fotos de baixo:

presilia-chicle2

menina-chiclete

chicletao

 

Pra quem quiser ler mais a respeito, o endereço das fotos e mais informações estão na página: http://www.missandladysboutique.de/products/chewy-beauty

Beijos

Bolsa dupla face em patchwork Pence Fundamental

Padrão

Essa bolsa também já está à venda!

Peça exclusiva, toda de patchwork com alça reguladora, dupla face (dá para usar tanto do lado xadrez como no azul) e detalhe de cereja (ver as imagens).

Interessou?

Escreva para pencefundamental@bol.com.br