Arquivo da tag: Moda brasileira

“Moda no Brasil: criadores contemporâneos e memórias”

Padrão

Oi gente, tudo bem?

Escrevo para contar que fui convidada pela FAAP- Fundação Armando Alvares Penteado- para expor uma peça minha da coleção AHORA Y SIEMPRE do meu TCC na exposição “Moda no Brasil: criadores contemporâneos e memórias”, que reúne o melhor da moda brasileira e traz um olhar diferenciado sobre o desenvolvimento deste segmento, acompanhado por recortes e focos temáticos. A mostra entrará em cartaz dia 12 de agosto e ficará aberta ao público até 30 de setembro, os curadores José Luis Hernandez Alfonso e Denise Pollini ressaltam que o público fará um passeio pela história da moda brasileira.

Lembrando que esta coleção AHORA Y SIEMPRE do meu TCC teve um grande reconhecimento graças à sua temática, que parte da luta das Mães da Praça de Maio e graças à nossa ilustríssima modelo e atriz Martha Mellinger, que encarnou maravilhosamente bem o personagem e emprestou sua beleza, expressão e delicadeza às fotos, dando vida e brilho à este trabalho.

Vestido Pote-de-Ouro que vai ser exposto. Foto do ensaio fotográfico com a maravilhosa atriz Martha Mellinger.

“A exposição leva o público de todas as idades a relembrar, conhecer, apreciar e valorizar a trajetória e o presente da moda no Brasil”.

A exposição é dividida em dez núcleos temáticos. Minha peça estará presente no “Núcleo Novíssimos”.

  • O principal núcleo, ‘Criadores Contemporâneos’, traz 20 looks considerados de ponta da criatividade dos estilistas presentes na mostra. A escolha foi baseada na projeção nacional e internacional do profissional, o percurso da produção desenvolvida no Brasil e a visibilidade comercial nos últimos 10 anos. Estão no espaço, Alexandre Herchcovitch, André Lima, Carlos Miele, Clô Orozco, Dudu Bertholini e Rita Camparato (Neon), Fause Haten, Gloria Coelho, Isabela Capeto, Jefferson Kulig e Jum Nakao, além de Karlla Giroto, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura, Lorenzo Merlino, Marcelo Sommer, Martha Medeiros, Reinaldo Lourenço, Ronaldo Fraga, Samuel Cirnansck e Walter Rodrigues.
  • O segundo núcleo, denominado ‘Pau-Brasil’, faz uma introdução sobre a relação do Brasil com a ornamentação corporal. O espaço apresenta trabalhos da artista Maria Lúcia Barbosa, que resgatam em colares, braceletes e broches, materiais e técnicas indígenas.
  • Em ‘Publicações’, poderão ser vistos encartes, revistas e folhetos com ilustrações sobre moda, que no século XIX e grande parte do século XX, eram os únicos meios pelos quais as informações sobre este tema chegavam à população. The Delineator, Manequim, O Cruzeiro, A Cigarra e Jornal das Moças são alguns exemplos.
  • Tecidos e propagandas em publicações, além de um vestido da casa Madame Rosita, da década de 1970, e um macacão da Casa Vogue, da década de 1960, poderão ser apreciados no bloco ‘Indústria e Comércio’. “O núcleo é dedicado à indústria têxtil e ao comércio, setores importantes no percurso da moda no Brasil”, enfatiza José Luis.
  • As ‘Feiras e Desfiles’ também contam com setor próprio na exposição. Fotos de desfiles, reproduções de publicações, encartes, catálogos, convites, entre outros, poderão ser apreciados. O núcleo contará ainda com um vestido assinado pela Casa Rhodia, centro de estudos de estilismo criado na década de 80 pela multinacional francesa de mesmo nome.
  • No núcleo ‘Modistas’, dedicado às anônimas profissionais da época, poderão ser contemplados vestidos, manequins, ferro de passar, máquina de costura, caixas com material de costura, além de manuais e publicações. Em ‘Costureiros’, espaço dedicado às primeiras celebridades relacionadas ao universo da moda, nomes como Clodovil Hernandes, Guilherme Guimarães, Dener, José Gayegos, José Nunes, Markito, Ronaldo Esper, Rui Spohr e Zuzu Angel estão presentes em suas inesquecíveis criações.
  • O espaço denominado ‘Formação Profissional’ relembra os primeiros cursos e métodos autorais de corte e costura até chegar ao final do século XX, quando surgem as faculdades e cursos universitários de moda. Fotos em sala de aula e de exposições realizadas na FAAP, como Papiers à la Mode, em 2008, fazem parte deste núcleo.
  • A nova geração de estilistas tem um espaço garantido e exclusivo. Em ‘Novíssimos’, sete estilistas, alguns ainda em curso e outros recém-formados, mostram seus estilos e beleza. São eles: Adriana Tristão, da FAAP, que venceu o concurso FAAP Moda e o Prêmio Criativa Novos Estilistas; Ana Paula Soares, do SENAC; Augusto Ribeiro e Claudiana Cardoso, da FMU; Elisa Quinteros, da Santa Marcelina; Kledir Salgado, da USP; Mariana Simoni e Thais Storino, da Anhembi Morumbi – além de  Mauricio Somenzari, da  FAAP,  também vencedor do concurso FAAP Moda.

 

A entrada é gratuita e o agendamento de visitas educativas poderá ser feito pelo telefone (11) 3662-7200.


Período: De 12 de agosto a 30 de setembro de 2012, de terça a sexta, das 10h00 às 20h00, aos sábados, domingos e feriados, das 13h00 às 17h00 na MAB-FAAP – Sala Annie Penteado, rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações:             (11) 3662-7198

Visitas Educativas:    (11) 3662-7200

Anúncios

O que vestir em dias de chuva

Padrão

Oi, tudo bem?

Sigo dividindo com vocês meu dia a dia de estudante e profissional de moda, tentando ajudar aqueles que como eu estão apostando nesse mercado como sua profissão ou mesmo para quem simplesmente gosta de moda.

Em primeira mão que informo que deste a semana passada estou em parceria com o Jornal Gazeta de Cosmópolis (www.gazetadecosmopolis.com.br), onde escrevo uma coluna a cada 15 dias.

Essa semana o tema da matéria foi:

O que vestir em dias de chuva

Morar em um país tropical como o Brasil, requer alguns “cuidados” na hora e maneira de se vestir.

O ano de 2010 começou e quase batemos o recorde de chuva. Esse tempinho pode enlouquecer algumas mulheres, ainda mais por vivermos num lugar, onde às vezes temos quatro estações em apenas um dia.

Algumas dicas para manter o visual nos dias de chuva:

– A peça curinga para os dias de chuva é a jaqueta ou casaco, que te ajudam nas manhãs chuvosas e ao longo do dia podem ser abandonadas. Uma boa dica é usar o casaco trench-coat (no inglês significa casaco de trincheira) de tecido impermeável, ao mesmo tempo que protege em relação à chuva, ele deixa o look equilibrado e graças ao cinto, equilibra a silhueta. Por baixo você pode optar por uma camisa ou blusinhas de algodão, que manter o corpo arejado.

casaco trench-coat

– As calças são sempre confortáveis, uma calça comprida só deve ser usada por dentro da bota, caso não goste, prefira modelos mais curtos e na altura do tornozelo, para não chegar a nenhum lugar com a barra da calça toda ensopada.

– Vestidos somente com meia-calça (fio 40 ou 80) ou legging por baixo (pois com a chuva o vento aparece), deixe os vestidos longos para os dias de sol (para não aparecer com a barra toda molhada).

– As echarpes são ótimas nesses dias: protegem o pescoço e deixam o look moderno, aposte nas echarpes coloridas.

– Sapatos: Prefira os fechados. As botas são sempre uma boa opção, sejam de cano alto, médio ou curto, elas salvam qualquer dia de chuva, além de deixar seus pés sequinhos (aposte nas sem salto). Para as mais ousadas, aposte na galocha (bota de plástico), que virou tendência e provou que além de funcionais, deixam qualquer look divertido. No verão é indicado usar botas mais curtas, como as botas de cowboy. No inverno as botas de cano alto são mais indicadas.

galochas

– Procure sempre carregar consigo uma sombrinha (invista nas pequenas) dentro da bolsa. A variedade de guarda-chuva é enorme hoje em dia, você não precisa ficar no preto básico, aposte em cores vivas ou estampas inusitadas.

guarda-chuva

Aposte em roupas sempre confortáveis e para dias instáveis, o indicado é ter em mãos o “kit-chuva”: com sombrinha, botas (“bota verão” ou galocha) e um casaco, para se proteger do frio. Tem gente que não gosta de carregar tantas coisas, acha deselegante. Mas deselegante mesmo é andar por aí todo encharcado.

Por

Mariana Arruda Simoni, Designer de Moda e Consultora de Estilo

Duvidas e perguntas: mariana.as@uol.com.br



Resgatando a história da MODA Brasileira…

Padrão

Oi gente, essa semana durante uma aula de Moda Contemporânea, relembramos do evento Phytoervas Fashion, aí eu decidi que iria postar pra quem nunca ouvir falar do evento ou pra quem acompanhava este evento que foi a primeira temporada de moda nacional.

phytoervas

fashion

oitava edição

O Phytoervas Fashion foi criado em 1993 com o objetivo de proporcionar visibilidade ao trabalho criativo e de qualidade desenvolvido por jovens estilistas. Até a sua 7ºedição, realizada em fevereiro de 1997, o Phytoervas Fashion era realizado duas vezes por ano, nos meses de fevereiro e julho.

Em sua 1º edição (fevereiro de 1994), o evento contou com a participação de Walter Rodrigues, Cia do Linho e Alexandre Herchcovitch. Com a criação de uma comissão julgadora, formada por profissionais do mundo da moda e das artes, (jornalistas, fotógrafos, profissionais de moda, professores, estilistas consagrados, diretores de arte), o evento ampliou seu numero de participantes e estabeleceu uma regra: o estilista escolhido só poderia participar no máximo três vezes do evento.

Este espaço foi criado para ser o primeiro Centro de Moda Brasileiro.

Em1996, o Phytoervas Fashion, já sob direção geral de Betty Prado, apresentou um formato mais maduro e profissional, e passou a ser realizado na Fundação Bienal de São Paulo. O evento reuniu mais de nove mil pessoas. Alguns estilistas que fizeram parte do evento após essa data: Ronaldo Fraga, Gloria Coelho, Marcos Borches, Marcelo Sommer, Mário Queiroz, Sta Ephigênia, Eduardo Ferreira, Estela Alcântara e Jeziel Moraes, Jun Nakao e mais uma vez o Mundo Mix, além de outras novidades como a participação de estudantes de moda com exposição de fotos, colagens e croquis dos estilistas participantes, mostrando o processo criativo.

Uma das contribuições do evento foram as “tendências”, que deixou de estar em um catalogo e passou a ocupar as revistas, com editoriais e histórico dos estilistas, fazendo com que as pessoas pudessem ter acesso às tendências.

Obs: O evento marcou também a estréia de Gisele Bündchen.

desfilegisele

A Moda em São Paulo

Padrão

Mesmo tendo voltado da Europa, o berço da modacontemporânea, é bom voltar pra casa e ver que a cada dia a moda brasileira tem sido valorizada, ainda que focada nas grandes capitais, por enquanto.

Digo isso com base na pesquisa da Global Language Institute, que posicionou São Paulo entre as principais e mais influentes capitais mundiais da moda.

“São Paulo figura em oitavo lugar na lista das dez maiores cidades da moda, segundo revela uma pesquisa anual”.

O Estado de S. Paulo, 20/07/09

caligrafia urbana de SP, do site: www.soniagil.com.br

caligrafia urbana de SP, do site: http://www.soniagil.com.br

Isso confirma a valorização cada vez mais da vocação da cidade para as áreas criativas, sem esquecer do potencial econômico, levando o nome do Brasil para todo o mundo, e valorizando as profissões relacionadas ao design de moda.

Parabéns a todos que colaboram com esse reconhecimento, de blogueiros a consumidores, passando por marcas, designers e todos os profissionais envolvidos.