STRAPPY BRA: TENDÊNCIA DO MOMENTO

Padrão

Se tem uma peça do armário feminino que não para de se recriar é o sutiã. Dessa vez, a peça apareceu com (muito) mais alças.

A tendência, chamada STRAPPY BRA é uma boa aposta para quem não quer se preocupar ou gosta de usar lingerie aparecendo, já que as alças são feitas justamente para complementar o visual.

 53

Na verdade essa tendência já despontou desde o ano passado, mas foi no último desfile da Colcci que ele se destacou e se tornou a peça “it” e virou desejo fashion do momento desde que Gisele Bündchen apareceu nas passarelas usando a peça.

02-569x364

O Straapy Bra são sutiãs com tiras que formam desenhos geométricos que tornam o look mais contemporâneo, ousado e super fashion.  As alças podem ser grossas ou fininhas e são elas que fazem a peça se tornar o ponto forte do look.

11703255_913878805320343_3694240670360547953_o-1024x768

Ele é simples de usar, mas tem umas maneirar com as quais ele se destaca e deixa o visual mais legal. Pode ser usado em várias produções como com uma regata, blusa cavada, vestido, short, calça, blazer e até mesmo com peças transparentes. A dica é aproveitar o decote para exibir as tiras de forma sensual sem exageros. O mais importante é ter em mente que o look com Strappy Bra deve ser mais básico e clean, uma vez que a própria lingerie será a estrela da sua produção.

A peça em questão pode ficar toda à mostra, como um top, ou por baixo.

Vale apostar em tiras em evidência tanto na parte da frente quanto nas costas. Para um look mais ousado, aposte em contraste de cores com a roupa. Se quiser um pouco mais de discrição, aposte em tons próximos ou iguais.

strappy-tendencia

Para mulheres de seios grandes que não querem chamar muito a atenção para esta parte, a dica é que o strappy bra seja de cor semelhante à da blusa, pois o volume da região já chama atenção por si só. Para as que tem seios pequenos, o contraste de cores e tiras que se estendem para a cintura são detalhes que chamam atenção para esta região.

Para as mais gordinhas, a dica é evitar as tiras na região do abdômen, concentrando os detalhes e chamando a atenção para o colo.

O mais importante na hora de escolher uma peça pra você: não se esqueça de apostar na numeração correta, pois, se ficar muito apertado pode acabar criando dobrinhas entre as tiras. E quando o assunto é escolher complementos para o look, cuidado: o strappy bra por si só é a peça que mais chamará atenção no look. Opte por formas e contextos minimalistas de acessórios para não poluir o resultado. Menos é mais.

celebridade_strappy_blog_fashion_what

Lembre-se também que conforto é indispensável para se sentir bonita e o ideal (e legal) da moda é utilizar tendências e adapta-las ao seu estilo.

Por Mariana Arruda Simoni

Mestre em design e produtora/consultora de Moda e Estilo

mariana.as@uol.com.br

http://www.pencefundamental.wordpress.com

ESCADARIA SELARÓN

Padrão

Este final de semana que teve feriado (de finados) na segunda-feira e aniversario do Mau (namorido), decidimos ir pro Rio de Janeiro: eu, ele, minha sogra e meu sogro.

 selaron

 DSC00237

  DSC00246 DSC00247

DSC00249

Já havia visitado o Rio quatro vezes, mas foi somente nesta vez (a quinta vez) que –finalmente- fui conhecer a incrível Escadaria Selarón.

Fiquei maravilhada, encantada, super curiosa e apaixonada pela história do artista Jorge Selarón e a construção desse monumento. Então fui pesquisar e achei tão, mas tão legal que decidi compartilhar com vocês, vamos lá?

DSC00239

Jorge Selarón nasceu em 1947 na cidade de Limache – uma pequena cidade localizada a uma hora de viagem de Viña del Mar e Valparaíso- no Chile.  Foi um pintor e ceramista autodidata e responsável pela escadaria que liga o bairro da Lapa à Ladeira de Santa Teresa, no bairro de Santa Teresa.

Sobre o artista

Selarón nasceu em uma família de classe média. Aos dez anos, conheceu Buenos Aires e decidiu que queria conhecer o mundo. Aos dezessete anos, viajou à Europa de carona num navio. Viajou por toda a Europa, até a Índia. Passou por 57 países até decidir que viveria no Rio de Janeiro. Passou a vender quadros em restaurantes da cidade. Após fixar residência junto à escadaria, em 1990, Selarón, instalou uma série de banheiras ajardinadas nas calçadas, que foram, subsequentemente, pintadas e adornadas com azulejos, inspirado no Parque Güell de Barcelona.

selaron (1)

A partir de 1994, sobre a pintura verde-amarela com que os moradores decoraram a escadaria para a copa do mundo de futebol de 1994, Selarón passou a azulejar os degraus. Trabalhando solitário e contando apenas com o rendimento obtido com a renda de seus quadros e eventuais doações de moradores, com dificuldade atingiu sua meta de ter os 215 degraus e 125 metros da escadaria concluídos antes do ano 2000.

DSC00231

Após alcançar sua meta e com uma renda gradativamente aumentada devido à crescente inclusão da escadaria nos roteiros turísticos, pôde dedicar-se à ornamentação das calçadas laterais e realizar inúmeras modificações, em coerência com sua concepção da escadaria como obra de arte mutante. Uma das inovações a partir de 2000 foi a introdução de azulejos vermelhos na escadaria: segundo o próprio Selarón, o vermelho era “Ferrari, a cor mais bonita do mundo”. Para isto, contou também com azulejos remetidos por fãs do mundo inteiro, chegando ter a mais de 2 000 azulejos diferentes, provenientes de mais de sessenta países.

SELARON (2)

No ano de 2003, os diretores José Roberto Mesquita e Renata Brito realizaram o primeiro filme sobre o artista. Um média-metragem intitulado “Selarón – A Grande Loucura”, onde o artista relata momentos de sua vida. O filme teve grande repercussão e proporcionou a ida de Selarón ao “Programa do Jô”.

https://youtu.be/Dis0mxbYrOw

Em maio de 2005, a escadaria foi tombada pela prefeitura da cidade e Selarón recebeu o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro. As muretas frontais das residências da escadaria foram executadas em épocas diferentes, de acordo com a solicitação ou permissão de seus proprietários. Segundo o artista, ele só conseguiu se manter financeiramente e prosseguir com sua grande obra pintando e vendendo mais de 25 000 quadros, quase sempre com um tema motivado por um problema pessoal: o tema da mulher negra grávida.

selaron-1

A famosa escadaria já correu o mundo: ora como tema principal para reportagens de revistas e programas de televisão do mundo todo, ora servindo de palco para videoclipes (U2, “Walk On”; Snoop Dogg, “Beautiful”), campanhas publicitárias, filmes (Hulk), série de televisão (CSI Miami) e até para fotos de uma edição da revista Playboy.

Morte

O pintor foi encontrado morto na Escadaria do Convento de Santa Teresa na manhã do dia 10 de janeiro de 2013. O corpo queimado do artista estava junto a uma lata de thinner. Um pouco antes, haviam sido ouvidos gritos de socorro e cachorros latindo. Em novembro do ano anterior, Selarón havia denunciado à polícia que vinha sendo ameaçado de morte por um ex-colaborador de seu ateliê, Paulo Sérgio Rabello, que queria obrigá-lo a ceder os rendimentos obtidos com a venda de quadros. Por conta disso, nos últimos meses, ele andava muito triste e vivia trancado em casa.

escadaria

Em depoimento gravado para um documentário feito em 2010 pelo cineasta Stephano Loyo, o artista havia declarado que a escadaria só ficaria pronta no dia de sua morte, quando ele se tornaria a própria escadaria e, desse modo, se eternizaria.

DSC00243

Referências

COSTA, Célia; Daflon, Rogério; Ramalho, Sérgio (10 de janeiro de 2013). Polícia não descarta hipótese de homicídio no caso do artista plástico Selarón O Globo. Visitado em 10 de janeiro de 2013.

WANDECK, Renato. Mosaico na Escadaria do Convento de Santa Teresa na Lapa ceramicanorio.

G1 Rio de Janeiro. Disponível em http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/01/em-video-selaron-diz-que-escada-so-ficaria-pronta-no-dia-de-sua-morte.html. Acesso em 9 de junho de 2013.

BARBA = NOVA PLATAFORMA DE ARTE

Padrão

Que a barba está com tudo isso todo mundo sabe.

Seguindo a linha da arte contemporânea e da utilização do corpo como plataforma de criação e/ou sendo a própria arte, Pierce Thiot extrapola a moda e utiliza sua barba como “tela” de arte.

Confira o tumbler Will It Beard que mostra o resultado da união entre a imaginação e a criatividade.

De acordo com uma reportagem da Hypeness, tudo começou por brincadeira, com Thiot tentando colocar o maior número de lápis na sua grossa e vasta barba. A ideia pegou e o diretor de arte de uma agência publicitária acabou pedindo a ajuda da mulher, fotógrafa, pra avançar com o projeto. Will It Beard consiste em emparelhar na barba um sem-fim de objetos do cotidiano.

Há espaço para quase tudo, confira:

WillItBeard1 WillItBeard2 WillItBeard3 WillItBeard4 WillItBeard6 WillItBeard7 WillItBeard8

Terra Comunal – Marina Abramovic + MAI

Padrão

11 de março de 2015, Sesc Pompéia

encontro com MARINA ABRAMOVIC

TERRA COMUNAL

11062981_837812609609535_704126662_n

Lá fomos eu e meu companheiro de aventuras, o Mau, para mais uma exposição ‘Terra Comunal’ da artista serva Marina Abramovic, que, através de instalações e vídeos, recria algumas das mais famosas performances da artista.

17jan2013---sesc-pompeia-divulga-imagem-de-marina-abramovic-visita-tecnica-exposicao-da-artista-acontecera-em-2015-1389982237931_615x300

A exposição

Dividida em duas partes, a exposição traz instalações criadas a partir de suas performances mais conhecidas, vídeos históricos e a aplicação do Método Abramovic.

11050957_837812809609515_1674698248_n

Na primeira parte, com curadoria assinada pelo alemão Jochen Volz, anunciado como o curador da próxima Bienal de São Paulo, em 2016. Com ‘Terra’, Jochen é responsável por montar a maior exposição já realizada em toda a América Latina em homenagem à Marina.

11063108_837812959609500_1308420034_n

Dentre as obras, três instalações relembram momentos da carreira da artista, além de 10 vídeos exibirem performances icônicas de sua trajetória.

11041461_837812652942864_1490135216_n

Na segunda, o Método Abramovic que consiste em uma dinâmica criada por ela para despertar a introspecção e a concentração, o método exige duas horas e meia dos participantes, dispostos a fazer uma série de exercícios que ampliam os sentidos e os limites da consciência e do corpo para, assim, apreciar melhor as obras e as performances de Terra Comunal.

11041343_837813026276160_714398616_n

11047185_837813036276159_537710587_n

10952008_837813106276152_1193647633_n

11062988_837812939609502_925184355_n

A palestra

As 20h15 no auditório com palco no meio de duas plateias, entra Marina Abramovic e sim, eu sinto um arrepio que vai rápido da ponta do meu dedão do pé até minha nuca. Estar ali pertinho de uma das artistas que eu mais admiro (presente em boa parte da minha dissertação de mestrado) foi uma experiência ímpar.

11042611_837812449609551_1568148203_n

Ela entrou com um look simples e todo preto e abriu a palestra nos fazendo “inspirar e expirar o ar” algumas vezes. Marina Abramovic é uma das influências mais decisivas na arte da performance, testando os limites de sua própria resistência, física e mental.

Logo de imediato, explicou de forma direta e didática a diferença entre teatro e performance. No teatro há ensaio das ações e tudo é de mentira: medo, sangue, cortes, alegria, etc, enquanto nas performances é tudo real, a dor, medo, intensidade e não é nada ensaiado, ou seja, tudo pode acontecer.

Em seguida, Abramovic mostrou algumas seleções performáticas de artistas utilizando a cabeça. Conforme passava os vídeos contava um pouco sobre o artista em questão, contexto e obras.

Ao final da palestra, a artista respondeu as questões do publico e interagindo e até exemplificando algumas de suas respostas. Foi convidada por um ativista para apresentar uma de suas performences na Favela do Moinho e conhecer o Movimento Parque Augusta sem Prédio, ela aceitou o convite. Vamos aguardar…

Particularmente, fiquei encantada com Marina Abramovic, estar ativa na arte performática (que envolve muita exaustão do corpo) com 68 anos, ela é super ativa, dinâmica, metodológica e humilde. Foi super atenciosa e pareceu até um pouco tímida no começo.

Serviço

“Terra Comunal – Marina Abramovic + MAI”

Quando: De 10 de março a 10 de maio, de terça a sábado, das 10h às 21h, e domingo, das 10h às 18h

Encontros com Marina Abramovic: 11 e 26 de março; 1º, 2, 8, 15, 22 e 30 de abril, às 20h

Onde: Sesc Pompeia (Área de Convivência, Galpão e Teatro – Rua Clelia, 93, Pompeia)

Mais informações: sescsp.org.br/pompeia e http://terracomunal.sescsp.org.br/

Conhecendo a Antuérpia e o Momu

Padrão

Para quem acompanha o blog… sabe que todo final do ano eu tento ir dar um mega rolê na Europa. Este ano, eu e o Mau (namorido) fomos pra Alemanha, Holanda e Bélgica.

Passamos 25 dias rodando e o roteiro foi: Amsterdam, Hamburgo, Haia, Rotterdam, Antuérpia, Bruxelas, Colônia, Dortmund e Amsterdam.

Hoje vou contar um pouco sobre um lugar que eu estava loooooooooouca pra conhecer, o Momu, museu da moda de Antuérpia, cidade que abrigou estilistas que revolucionaram o mundo da moda. Pra quem não sabe, eu sou formada em Design de Moda pela Anhembi Morumbi e sou Mestre em Design (pela mesma faculdade), trabalho como estilista de uma marca infantil, então vocês podem imaginar o quão ansiosa eu estava para conhecer este Museu.

Antes, vou contar um pouco sobre a cidade e dar algumas dicas de passeios incríveis e imperdíveis.

Antuérpia é a segunda maior cidade da Bélgica. É considerada o centro mundial do diamante.

A estação central da Antuérpia  já quase vale o passeio. Lindíssima. Foi construída em 1905 e possui 4 andares.

DSC00115

Bem perto da estação, encontra-se o bairro chinês: Chinatown, com um típico portão chinês (pagoda-gate). Caso curta restaurantes orientais, você pode encontrar várias opções por lá.

???????????????????????????????

CATEDRAL DA NOSSA SENHORA: Depois de 170 anos de trabalho, a construção da igreja foi concluída em 1521, mas o projeto da segunda torre nunca foi finalizado.

DSC00057

DSC00201

Saindo da Igreja, siga em direção ao Grote Markt. Lá você vai encontrar o palácio municipal (City hall) que foi construído em 1565 e a estátua Brabo. Reza a lenda que em Antuérpia havia um gigante que cobrava da população um valor alto para quem quisesse atravessar o Rio Scheldt, as pessoas que recusavam pagar a quantia tinham suas mãos cortadas e jogadas no rio. E foi Brabo o herói que conseguiu derrotar o gigante. Segundo o folclore, além de matá-lo, Brabo fez o mesmo ritual, cortou a mão do gigante e a arremessou para o rio.

DSC00049

DSC00129

Grande destaque para as cervejas belgas, uma mais gostosa que a outra, mas me apaixonei pela de maçã verde…

DSC00159

DSC00163

Entre uma feirinha e outra, também provamos o famoso Waffle belga… sensacional!

DSC00195

E as batatas belgas… hehehe.

DSC00021

Depois de conhecer o Grote Markt, dê um pulinho no castelo HET SEEN, que é uma fortaleza medieval construída em 1200. A propriedade ao longo da história já foi uma prisão e hoje funciona como um memorial da Segunda Guerra Mundial! Na frente do prédio, você vai ver o “Lange Wapper”, figura folclórica que diziam perseguir os bêbados da cidade.

DSC00181

Bom, pra quem é antenado no mundo da moda, o Museu da Royal Academy of Fine Arts, Momu é uma parada obrigatória.

DSC00034

O museu faz o visitante fazer uma viagem na história da moda e do design com suas mais de 25 mil peças de roupas que datam desde o século 16 até os estilistas mais contemporâneos.

DSC00036

DSC00037

Além disso, o Momu apresenta exposições temporárias destacando temas e estilistas, dando destaque aos designers de moda belgas e que se formaram lá.

DSC00019

???????????????????????????????

DSC00037

O prédio onde fica o museu é uma atração a parte, já que foi construído no século 19 e era, originalmente, uma loja de roupas. No prédio funciona a faculdade de moda da Antuérpia, que conta com uma livraria e acervo incríveis de centenas de livros e registros científicos, acadêmicos e de experimentações envolvendo e associando práticas do fazer criativo de moda e design.

DSC00044

DSC00038

O bairro onde o museu está localizado é um bairro bem antenado da moda, é possível dar uma passadinha nas ruas com as grifes mais badaladas da Antuérpia, que ficam a poucos quarteirões do museu.

Pra nos esquentarmos dos -7 graus que pegamos… o jeito foi tomarmos uma sopa deliciosa de cebola em uma das feirinhas natalinas!!!

DSC00212

Por fim, visitamos também o M HKA, que é o museu de arte contemporânea, com instalações incríveis.

???????????????????????????????

???????????????????????????????

???????????????????????????????

???????????????????????????????

“Made by… feito por brasileiros”

Padrão

A exposição de arte contemporânea “Made by… feito por brasileiros” que está no antigo Hospital Matarazzo, na região da Avenida Paulista, terminou neste domingo (12).

??????????????????????????????????????????????????????????????

Fechado há cerca de duas décadas, o prédio construído em 1904 recebeu mais de 80 mil visitantes interessados na mostra que reúne mais de 90 artistas contemporâneos brasileiros e estrangeiros.

???????????????????????????????

A mostra reuniu cerca de cem artistas nos pavilhões e jardins do antigo hospital Matarazzo, desativado há cerca de 20 anos, para instigar um novo olhar sobre os prédios históricos.

“Loucura é o tema mais importante na história da Humanidade. Só os loucos são loucos o suficiente para pensar que podem mudar o mundo, e eles realmente o fazem” 

Alexandre Allard

O grupo francês Allard fará uma grande reforma no espaço, que fica no bairro da Bela Vista, mas promete um cuidado especial com a memória da cidade. Presidente do grupo e idealizador da mostra, Alexandre Allard se disse encantado com espaço e garantiu que a estrutura ficará preservada.

“As adaptações vão exigir mudanças pequenas. Acredito que é sempre muito positivo renovar e trazer vida para aquilo que é um espaço tão interessante. É preciso ensinar que não existe futuro sem respeito ao passado.”

?????????????????????????????????????????????????????????????? ??????????????????????????????? ???????????????????????????????  ???????????????????????????????  ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ???????????????????????????????

“Cada obra é um diálogo silencioso com a Cidade Matarazzo. Será uma invasão criativa”???????????????????????????????

Pontos mais legais:

  • Como os prédios não foram reformados, tem-se a experiência de ver arte em um espaço que parece mal-assombrado.
  • Filmes clássicos de Zé do Caixão e pornôs serão veiculados nas paredes .
  • A exposição traz nomes importantes da arte contemporânea brasileira como  Nuno Ramos, Lygia Clark e Vik Muniz.
  • Cada cantinho do jardim, do hospital, da maternidade e da capela abrigam obras, muitas vezes inusitadas, como as ambulâncias em sucata que viraram uma obra de Daniel de Paula.
  • O ambiente reúne obras lindas que valem pelo impacto visual. A escultura de Arne Quinze, por exemplo, é feita de ripas de madeira pintadas de vermelho e tem mais de cinco metros de altura. Não faltam bons lugares para fazer ótimas fotos. E, aqui, elas são liberadas.
  • É uma das melhores exposições em cartaz na cidade na cidade de São Paulo, com nomes internacionais de peso como Yoko Ono, Cindy Sherman, Ai WeiWei, Xu Bing e Joana Vasconcelos.

31 edição da Bienal de Artes em São Paulo

Padrão

Como de costume, fui a 31 edição da Bienal de Artes em São Paulo.

10644564_755927334464730_7878836374552803132_n

Com curadoria de um escocês, dois espanhóis e dois israelenses, a maior exposição de arte da América Latina inaugurou no último dia 6 com uma proposta diferente desenvolvida por 69 artistas. Os focos dos curadores Charles Esche, Pablo Lafuente, Galit Eilat, Oren Sagiv e Nuria Enguita Mayo foram o processo criativo, o diálogo com a contemporaneidade e a associação colaborativa na produção dos trabalhos.

1011628_755927471131383_382042055356053209_n 1013224_755927677798029_9134340610683754862_n 10616526_755927504464713_559572746218175321_nA mescla obtida pelos curadores traz assuntos tão palpáveis e presentes no “mundo real” como religião, sexualidade, política e guerra… questões essas que fazem parte da nossa realidade mas que talvez seja preciso visitar a exposição para percebê-las e repensá-las de outra maneira e sobre outros aspectos.

10704087_755929657797831_2348196060520331665_n149584_755929757797821_2768556012674607406_n 1962764_755929547797842_1255096800160342513_n

10670053_755929797797817_8585659221815308501_n 10689511_755929567797840_1366368374093691075_n
10712903_755927371131393_4715560839902837427_n

Alguns destaques:

  • O vídeo Inferno, do israelense Yae Bartana mostra a inauguração de um grande templo, destruição do mesmo e culto a seus escombros…a crítica é ao Templo de Salomão, em São Paulo, feito com pedras importadas de Israel. Assunto polêmico?

L0952DB3DC4FA4634A4011928BCD5F64F

  • Gabriel Mascaro, pernambucano que pesquisou imagens feitas durante as manifestações de 2013 para detectar uma maneira muito especifica de identificar os que protestavam: sob a ótica da polícia. “Eles cobrem os rostos, mas usam sapatos muito específicos que chamam a atenção…o que ajuda os policiais a identificá-los”, explica o artista da obra Não é sobre sapatos.

cena-da-videoinstalacao-nao-e-sobre-sapatos-de-gabriel-mascaro-1412012631014_300x300

  • A instalação The Incidental Insurgents, dos palestinos Basel Abbas e Ruanne Abou-Rahme, que questionam (inevitavelmente) a crise politica contemporânea que vivenciam no dia a dia e indicam um novo imaginário social a surgir depois de um colapso.

20140901-entretenimento-bienal-de-artes-2014-0050-size-598

Informações

Visitação até 7 de dezembro, terças, quinta, sexta e domingo, das 9h às 18h, e quarta e sábado das 9h às 21h, no Pavilhão da Bienal (Parque Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, São Paulo)